Você sabe se comportar bem em blogs alheios?

Práticas inaceitáveis escrito por

Já temos um post aqui no Metablog falando sobre o quanto a caixa de comentários dos blogs de outras pessoas podem ser usadas a nosso favor. Mas vemos cada coisa por aí que dá vergonha alheia, né? Naquele post demos dicas para usar bem os comentários em outros blogs, hoje vamos ver o que não devemos fazer de jeito nenhum.

 1. Comentários não relacionados ao tema do post

Tem gente que é tão centrada só em si mesmo que não percebe (ou percebe e não vê problema) que usa o espaço dos outros em favor delas mesmas ignorando completamente o dono do espaço. São tão indiferentes à existência do Outro que chega a parecer patológico. Estou falando daquela pessoa que chega no seu blog e não lê nada, não faz ideia de quem você é, não sabe sequer seu nome direito, não prestou atenção nem no título do post e vai comentar coisas do tipo “legal seu blog, passa no meu!”. E se dá vergonha alheia ver os outros fazendo isso, você não vai se colocar nessa situação vexatória fazendo igual, certo? Então já sabe: leia o post antes de comentar e fale sobre o assunto do post.

2. Comentários agressivos

Estão em blogs de todos os nichos, mas costumam ser mais cruéis nos blogs de moda e afins: “essa roupa ficou horrível em você”; “gasta tanto em roupa quando devia tratar os dentes/comprar mais livros/cortar esse cabelo/etc”, “está precisando emagrecer, hein?”. Por favor, mil vezes não para esse tipo de comentário. Veja bem, você tem todo direito de não gostar da roupa da pessoa ou achar que o dinheiro dela poderia ser usado com outras coisas. Mas precisa mesmo expressar isso? E desse jeito tão agressivo?

Historinha pessoal pra exemplificar: sou daquelas que não vê com bons olhos o consumo desenfreado, fico assustada quando vejo pessoas colecionando dezenas e dezenas de sapatos (ou calças, bermudas, etc). Mas não é agredindo os outros que eu vou chamar atenção para o consumo consciente, para questões ambientais, para o trabalho escravo. Além disso, o que os outros fazem do dinheiro deles não é da minha conta – e nem da sua. Se a pessoa prefere usar o dinheiro dela em sapatos, livros, doações ou deixar tudo guardado no banco simplesmente não é da nossa conta, o dinheiro é dela e você e eu não temos nada com isso.

Quer fazer uma crítica ao consumo desenfreado? À indústria da moda que nos quer todos esqueléticos e pagando caro por roupas que mal duram duas lavadas? Faça uma boa pesquisa sobre isso e publique um post no seu blog sem xingar ninguém, sem agredir quem age diferente do que você considera certo. Além disso, se você se incomoda tanto com quem está fora dos padrões que você considera aceitáveis ao ponto de ir no blog da pessoa agredi-la, perdoe-me a franqueza, mas o problema está em você e não nos outros, pode perguntar para qualquer analista de sua confiança. E pra quem é gordofóbico indico um post do Uma Feminista Cansada: isso vai ser um post gordo e raivoso.

3. Achar que todo blogueiro é “vendido”

Sim, tem gente que fala bem de coisas que não experimentou apenas porque está sendo pago para isso. Mas isso não quer dizer que todo blogueiro que fala bem de um produto ou marca está, necessariamente, vendendo sua opinião. Você nunca elogiou sinceramente um produto, serviço ou marca? Pois é, outros blogueiros também.

Historinha de novo, dessa vez o exemplo vem de um amigo, ou seja, alguém que conheço e confio, posso assegurar que o elogio foi sincero, não foi “opinião vendida” ou jogada de marketing. Você se lembra de quando se tornou conhecida nas redes sociais a “história de amor” entre a GVT e um ex-cliente? Esse ex-cliente é meu amigo Tarcisio Cavalcante, ele estava insatisfeito com sua operadora e ao invés de reclamar dela, preferiu elogiar o serviço da operadora anterior. Ele fez uma “carta de amor” bem humorada para a ex-operadora sem ter sido pago para isso – e nem foi pago posteriormente também. Para relembrar o caso (e reler a cartinha dele e a resposta também divertida da operadora), clique aqui.

Então muita calma nessa hora, cuidado no julgamento. Nem tudo é publieditorial disfarçado de opinião sincera (já sabemos que publieditoriais devem estar identificados como tal), existem blogueiros que são, de fato, sinceros. Você nunca indica produtos, serviços e marcas que você gosta e confia mesmo sem ganhar nada para isso? Eu indico. Outros blogueiros também.

4. Mendigar troca de links

Que coisa mais triste ver um blogueiro mendigando troca de links. Se ninguém está fazendo link para você, não é suplicando parcerias que você vai conseguir ser linkado. Faça uma análise honesta do seu blog: são as pautas que não são boas o suficiente para que os outros se sintam motivados a linkar? As pautas são boas, mas você não está sabendo se expressar e construir bons textos? É o layout que está espantando os visitantes e por isso ninguém recomenda você? Você não está sabendo promover bem seu blog? Se o problema estiver no seu blog, temos muitos artigos aqui no Metablog que podem lhe ajudar, de design a produção de conteúdo, de planejamento a promoção.

E existe também a possibilidade do problema não estar no seu blog, mas na mentalidade do seu nicho: há blogueiros que, equivocadamente, acreditam que links externos são prejudiciais ao SEO. Se o problema for esse a única coisa que você pode fazer sem se colocar na situação horrível de mendigar links é começar a compartilhar textos que expliquem que links externos não prejudicam o SEO – e torcer para que outros blogueiros leiam e revejam suas posturas.

5. Virar cópia de outros blogueiros

Super ok você ter um blogueiro que é sua inspiração, admirar tudo que ele faz, curtir o blog dele inteiro. Mas expresse sua admiração elogiando e indicando o blog dele, não tentando ser igual. Às vezes vemos pessoas que não querem ter um blog, querem ter o blog do outro. Fazem tudo igual: o estilo do layout e da escrita, a formatação dos posts, as pautas, a taxonomia, tudo. Além de toda uma questão de Direitos Autorais seriíssima que já debatemos muito por aqui tem a originalidade, o diferencial. E cá entre nós, isso de querer tudo igual ao do outro, parecendo até querer ser o outro, é sintoma de problemas de auto-estima, não acha?

E aí eu chego no final do post e percebo que lá em cima eu escrevi que ser agressivo com quem pensa e age diferente é papo até pra analista, e agora no final falei de auto-estima. E no decorrer do artigo todo, se você pensar bem, verá que todas as práticas que criticamos hoje são sintomas de alguma neurose e/ou descontrole e até de preconceito. E com tudo que vem acontecendo, tantos discursos de ódio, tanta violência de todos os tipos por todos os lados, é fácil entender que vivemos numa sociedade doente. Resta a cada um de nós escolher como agir diante de tudo isso. No caso da blogosfera, podemos ser os raivosos, agressivos e plagiadores (que certamente ninguém vai querer linkar) ou sermos mais ponderados e agradáveis, pensar antes de enviar comentários.

Nós aqui do xCake escolhemos não plagiar ninguém, não deixar comentários agressivos pra ninguém, nem fazer nada do que apresentamos como práticas questionáveis. Não porque somos perfeitos ou superiores, mas porque temos em mente que, do outro lado da tela, tem um ser humano. Alguém que, assim como nós, trabalha duro, estuda muito, se vira nos 30 pra dar conta das metas profissionais, pagar contas e ainda ter tempo para o lazer e para as pessoas e pets amados. Quem vem com a gente? :)

10 Comentários em Você sabe se comportar bem em blogs alheios?

  1. Tarcisio em março 25, 2014

    Woahh!! Obrigado pelo comentário, pela lembrança! E como você falou, hehe. Não recebi nem antes nem depois. Detalhe: continuo sendo ex-cliente. Não ganhei desconto nem jeitinho pra voltar a ser cliente, infelizmente. rsrs :)

    1. Lis Comunello em março 26, 2014

      Pois é, nem todo mundo é “vendido”. Seu case com a GVT foi muito legal mesmo! :)

  2. Vanessa Mendes em março 25, 2014

    eu!! lindo, útil e inspirador o texto! a coisa esta realmente feia no mundo e a blogosfera acaba sendo somente um reflexo disto…educação e simpatia cabem em qualquer lugar. parabéns =)

    1. Lis Comunello em março 26, 2014

      Exatamente, Vanessa: o que acontece na websfera inteira é apenas reflexo do que acontece fora da internet. Nem teria como ser diferente, afinal as mesmas pessoas que estão aqui são as que estão “lá fora”. E quando a gente dá conta de não sair falando tudo que pensa e só se manifestar se for pra acrescentar algo realmente positivo a vida fica mais leve – e aí inclusive ficamos mais dispostos a fazer o nosso melhor ao invés de copiar o melhor do outro e/ou de agredir. :)

  3. ana maria em outubro 14, 2014

    Nossa, maravilhoso teu texto. Ainda quero escrever um sobre páginas do face.. A minha ta indo muito bem e vejo cada coisa!! as pessoas se acham espertas passando nos posts e colando as páginas delas como propaganda e lógico que vamos apagando e o que conseguem são propaganda negativa. Tem um povo que só olha o seu umbigo. E também não acho nada legal ficar falando do que detestou. Detestou, nem perca tempo em comentar né? Não vale a pena ficar sendo agressivo mesmo!!

    1. Lis Comunello em outubro 21, 2014

      Ana Maria, também prefiro não falar nada quando não gosto de um post. Porém, claro que as pessoas têm o direito de dizer que não gostaram – mas educadamente, lógico. E fanpages são, assim como os blogs, um prato cheio para comentários hostis. Pior que isso só em portais de notícias mesmo.

      1. ana maria em novembro 18, 2014

        Estava relendo o post, gostei muito, vontade de enviar por email pras blogueiras mal educadas, kkk
        Brincadeirinha. Levo o blog muito a sério pra ser deselegante.
        bjus

        1. Lis Comunello em novembro 24, 2014

          Ana Maria, você pode fazer no seu blog um post com indicações de artigos de outros blogueiros e colocar o nosso cobre comportamento nos blogs alheios. ;)

  4. Alexandre em dezembro 07, 2014

    Na busca de divulgar o meu trabalho na net, notei que primeiro tenho que saber me posicionar com respeito àqueles que me relacionarei por muito tempo ou brevemente. ( o tempo dirá ) Suas dicas são valiosas por serem sinceras e principalmente o toque pra galera não ficar denegrindo os outros. Se é pra falar mal de alguém que se cale.

    1. Lis Comunello em dezembro 08, 2014

      Alexandre, críticas são importantes, com elas vamos descobrindo onde precisamos mudar. Então precisamos aprender a ouvir críticas, mas é claro que quem critica precisa saber fazer isso com educação. :)