O que não fazer no seu blog

Práticas inaceitáveis escrito por

Estamos sempre falando de ferramentas úteis, damos dicas para produção de conteúdoSEO, procuramos esclarecer e orientar sobre Direitos Autorais e várias outras categorias (estão no nosso menu à esquerda). Mas, às vezes, você pode encontrar coisas em outros blogs e, por não saber que são práticas inadequadas, resolve aplicar. Hoje vamos ver mais algumas para que você possa fugir delas. ;)

Antes de começar a listinha de coisas não recomendadas, é importante lembrar: o foco é no usuário. Repita feito um mantra até que você tenha interiorizado esse pensamento e se lembre dele toda vez que estiver trabalhando no seu blog. Cole bilhetes em lugares estratégicos: na cabeceira da cama, no espelho, na porta da geladeira, na porta da sala ao lado do olho mágico… Foco no usuário, foco no usuário, foco no usuário. Memorizou? Então vamos lá!

Músicas de fundo

Memorizou o mantra do usuário? Então imagine: seu visitante está lá no computador dele, ouvindo uma música que ele gosta, ou então em silêncio porque é assim que ele prefere navegar. E aí entra no seu blog e tem uma música tocando: vai atrapalhar a música que ele está ouvindo ou então interromper o silêncio dele. Não, nem pensar.

Músicas de fundo só atrapalham, fazem o visitante sair correndo – ou seja, ele não vai se tornar um leitor fiel, é possível até mesmo que fale mal do seu blog. Não é isso que você quer, certo? Então fuja das músicas de fundo.

Página de abertura com link para site e blog

Neste caso, além de passar por cima do mantra do usuário, você também estará prejudicando seu SEO.

Do ponto de vista do usuário: você está dificultando o acesso ao seu conteúdo quando deveria estar facilitando. A pessoa acessa um link, aí precisa clicar em mais um link para só então chegar ao conteúdo. Acredite, nem todo mundo tem paciência. Ao invés de fidelizar leitores você estará espantando-os.

Do ponto de vista do SEO: uma url principal sem conteúdo relevante não é bem indexada pelos motores de busca como uma página inicial com conteúdo e link building. Além disso, quanto mais simples a estrutura do diretório (link em PDF), melhor para a navegação e para a indexação.

Enfim, página de abertura contendo apenas um link para acessar o site/portfólio/etc e outro para acessar o blog são prejudiciais de várias maneiras e não possuem utilidade prática.

Posts demais x posts de menos na página inicial

Posts demais prejudicam o carregamento da página, deixam o blog lento. Posts de menos não ajudam a manter o visitante na página. O ideal é o meio termo, cerca de dez posts. Também é bacana deixar na página inicial apenas o resumo, facilitando a visualização geral do conteúdo do blog e ao mesmo tempo não deixando muitos elementos para carregar. ;)

Captcha na caixa de comentários

Captcha é uma ferramenta anti-spam, mas é péssima em caixas de comentários. Novamente vamos pensar no usuário: quanto mais empecilhos para deixar um comentário, menos motivado ele se sentirá para deixar uma mensagem. O mesmo vale para blogs que exigem login em contas do WordPress, Google e outros para comentar: você está dificultando a vida do leitor. Se você quer que seus leitores interajam, deixe a caixa de comentários livre.

Fanpage light box

Certamente você já viu blogs que, ao acessar, a primeira coisa que aparece é uma caixinha (pop up) do Facebook para curtir a fanpage do blogueiro. Você não consegue acessar conteúdo algum sem antes curtir a fanpage e aí está o problema: o usuário perde o direito de escolha, para ler o conteúdo ele é obrigado a curtir a fanpage. Isso por si só já é invasivo e desagradável, e se for um novo visitante fica pior ainda: ele é obrigado a curtir algo que sequer conhece!

Esse tipo de ação mais afasta leitores do que atrai. Ao invés de tentar forçar as pessoas a curtirem sua fanpage, prefira investir no seu conteúdo, na sua identidade visual, na boa gestão do seu blog e fanpage e na divulgação inteligente, pois desse modo as pessoas se sentirão mais motivadas a prestigiar seu trabalho tornando-se leitores fiéis e curtindo sua fanpage.

Bloqueio do clique com o botão direito do mouse

A intenção é proteger o conteúdo, mas a verdade é que quem quiser plagiar seu trabalho irá fazer isso com ou sem botão direito do mouse. E, além de não garantir a proteção do seu blog, se você não tiver o Pinterest Pin It Button For Images, pode acabar atrapalhando a pinagem das imagens dos seus artigos (há extensões para navegadores que, para pinar, é preciso clicar sobre a imagem com o botão direito do mouse). Na tentativa (frustrada) de proteger seu conteúdo, você acaba atrapalhando a divulgação do seu blog.

Para proteger seu conteúdo existem maneiras mais eficientes e simpáticas para com os leitores: entenda o Direito Autoral e as licenças de uso e escolha uma licença Creative Commons para colocar em seu blog. Há maneiras de descobrir se seu trabalho está sendo plagiado e, na maioria dos casos de plágio, é bastante simples resolver a questão.

Pronto, agora você já sabe mais algumas práticas das quais deve correr para bem longe. :D

8 Comentários em O que não fazer no seu blog

  1. Cristiane em abril 10, 2013

    Super dicas. Realmente muitas dessas coisas que vc mencionou chateiam quando estamos lendo um post, se for passar para outras páginas então, lá de novo a janelinha irritante.
    Adorei o post

    1. Lis Comunello em abril 12, 2013

      Né, Cristiane? Muito chato isso, são coisas que os blogueiros não deveriam mesmo fazer, se pretendem ter um blog sério, respeitado. O usuário em primeiro lugar. :)

  2. Sammis Reachers em abril 11, 2013

    Muito oportunas as dicas!

    1. Lis Comunello em abril 12, 2013

      Obrigada, Sammis! :)

  3. luciano em abril 28, 2013

    Gostaria de saber se é necessário reduzir a definição das fotos que serão publicadas ou se basta a inserção da marca d’água ? Pergunto isso pois aprendi em um curso que devemos reduzir a definição para limitar o uso da foto por quem venha a rouba-la, porém me incomoda muito depois de todo o investimento, financeiro, artístico e tecnológico, ter que reduzir a qualidade do trabalho justamente na hora de mostra-lo para um numero grande de pessoas.

    1. Lis Comunello em abril 30, 2013

      Olá, Luciano.

      Imagens requerem alta resolução quando são para impressão/revelação. Não é o caso das fotos em um blog: elas estão ali para ilustrar o texto. Mesmo quando se trata do portfólio de um fotógrafo, as imagens não são para revelação – se alguém desejar imprimir, terá que entrar em contato com você para pedir autorização e aí você enviará para o email dela o arquivo em alta resolução.

      Imagens em alta resolução só prejudicam o carregamento da página, se você deseja disponibilizar suas fotos para impressão os espaços mais adequados são redes como o Flickr e similares (lá sim você pode colocar a resolução máxima). Se você deseja um blog ou site para ser seu portfólio como fotógrafo, venha conversar com a gente, veja no nosso portfólio os blogs e sites de fotógrafos que já fizemos, não é necessário publicar as fotos em resolução máxima para divulgar seu trabalho. Afinal as pessoas vão apenas olhar, certo? Se quiserem solicitar o material para impressão, entrarão em contato com você. ;)

  4. Selma Melo em agosto 28, 2014

    Que bacana! Aprendi muito aqui e estou adorando o conteúdo de vocês. Parabéns à equipe!

    1. Lis Comunello em agosto 29, 2014

      Obrigada, Selma! :)